Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


5 anos sem a Amy

25.07.16

 A Amy Winehouse deixou-nos há precisamente 5 anos.

Eu já me vou habituando à ideia, que remédio tenho eu, mas ainda a vou chorando porque volto à sua música regularmente.

Como toda a gente, passei boa parte da minha vida a venerar artistas mais velhos do que eu. É natural; quando se tem 16 anos os artistas que nos ajudam a crescer são todos um bom bocado mais velhos do que nós.

Depois chegamos aos 25/30 e já há gente da nossa idade a fazer (muito) boa música.

Mas a Amy foi um furacão raro, por todas as razões.

Porque levou a sua capacidade autodestrutiva até ao fim, e porque foi a única miudinha que rotulei como absoluto génio na minha hierarquia pessoal dos Deuses.

Há quem goste de lembrar o estado lastimável em que se apresentou em Lisboa em 2010, mas esse lado da sua história nunca me interessou. Mesmo nessas imagens eu prefiro recordar o espírito de irmandade da banda que tenta, com enorme sacrifício e profissionalismo, manter o espetáculo de pé (e mantê-la a ela de pé). Eu olho para as imagens do Rock in Rio e gosto ver um grupo de grandes músicos que tentam segurar a sua menina, numa demonstração de carinho e dedicação que me comove porque todos sabíamos o que se estava a passar.

A Amy era um anjo caído, aqueles músicos sabiam-no e faziam o que podiam para a amparar.

Mas para a lembrar em boa forma, a Amy Winehouse a sério, vou muitas vezes ver este vídeo.

É de 2007, ela já não é a menina que passeia o cão ma capa do Frank, já apresenta as suas imagens de marca (o cabelo, o swish, as tatuagens...) mas ainda está em plena posse das suas qualidades de absoluto génio.

E ainda tem o sorriso (às vezes triste), a pele de múda e os olhos grandes e curiosos de reguila.

E aquela banda maravilhosa que a acompanhou e amparou até à queda a fazer a festa à chuva.

Vamos lembrá-la pelo seu génio e pelo que ela fazia de melhor – a música.

A Amy morreu, viva a Amy!

Amy sempre!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:15


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Dora a 27.07.2016 às 21:03

A Amy é a minha cantora preferida de sempre e até tenho uma tattoo dela.
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 27.07.2016 às 22:55

Lembro-me da primeira vez que a ouvi e de ter pensado que estava num patamar acima dos outros humanos.
Nem vi o documentário do Kapadia para não me partir mais o coração.
Não quero saber os detalhes.
Quero a memória da carinha laroca e do talento do outro mundo...

Comentar post



O LIVRO

Capa_OK


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D