Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Podia parecer mal este ser o único blog de Portugal e arredores a não fazer um post sobre o Salvador Sobral por isso, cá vai.

 

Nota prévia: eu não gosto de unanimismos e unicidades – tenho alergia, dá-me urticária.

Posto isto, e perante o enervante entusiasmo em relação ao novo formato do nosso Festival da Canção, tratei de não lhe ligar pevide.

Nem o facto de também participar a Márcia (e eu sou Marciano, acreditem) me levou a ligar a tv naquela noite.

 

Depois ganhou o Salvador Sobral e o entusiasmo em relação à canção vencedora tornou-se insuportável.

Por essa razão, e porque eu não sou de embirrar sem conhecimento de causa, fui ver que fenómeno era esse que estava a criar tão enervante unanimidade.

Como bom velho dos Marretas, lá fui saber quem era o cantor para o poder deitar abaixo com propósito e maneiras.

Então mas não é que o Salvador Sobral é aquele concorrente do Ídolos de há uns anos?

Aquele da única edição que eu segui e que até era o concorrente com quem eu mais simpatizava?

Ora bolas, não vou conseguir embirrar com ele.

Canta lindamente, tem (muito) bom gosto musical e tem “sou uma joia de moço” escrito na testa; olha-se para ele e simpatiza-se logo.

 

Bom, mas um marreta não desiste – de certeza que consigo malhar no autor da canção que toda a gente estava a adorar.

Ah! Ca porra. É a Luísa Sobral que é irmã dele e eu não sabia.

Que chatice... eu era incapaz de embirrar com ela. Adoro-a.

Por acaso só tenho um disco dela e só a vi ao vivo uma vez mas tenho um fraquinho muito sério pela Luísa Sobral.

Gosto de rigorosamente tudo nela.

Da voz, das canções, da imagem, da intervenção cívica... aquele arzinho de fada a cantar com a harpa é, para mim, absolutamente irresistível.

Não és tu Joanna Newsom, é ela...

 

Bom, mas se não consigo embirrar com o cantor nem com a compositora, ainda posso embirar com a canção.

Mesmo aquele duo pode ter um momento de desinspiração e, sendo o Festival da Canção, de certeza que a canção é manhosa.

Ehhh... Não!

Irra que a canção é belíssima e a letra é maravilhosa.

Como é que uma balada tão suave e apenas sussurrada consegue entrar no ouvido a ponto de eu a assobiar quando estou a pôr a loiça na máquina ao fim da primeira audição?!?!

Ó pá, acreditem que eu tentei manter-me à margem daquilo, fiz de conta que não sabia o que era, e quando fui ver fui munido de uma vontade inabalável de dizer mal e de deitar abaixo só para ser do contra.

A verdade é que não consegui

Salvador.jpg

Os manos Sobral não me deixaram ser marreta.

Só por causa disso fico a odiá-los um bocadinho...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00


4 comentários

Sem imagem de perfil

De catarina a 17.05.2017 às 09:55

Mesmo! Até enerva de BOM!...E ainda por cima, sendo ele próprio, o mais simples e natural do mundo...caramba!
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 17.05.2017 às 10:12

Jóia de moço.
Dá vontade de levar para casa e fazer-lhe um chá e umas torradinhas como se fosse filho

Comentar post



O LIVRO

Capa_OK


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D