Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Je ne suis pas Cordes, mas...

 

Nunca achei piada ao Rui Sinel de Cordes.

E sendo ele humorista de profissão, isso é no mínimo inconveniente.

Não há nada mais constrangedor do que um humorista que não nos faz sequer esboçar um sorriso.

Eu gosto de humor negro, de sarcasmo, de ácido sulfúrico, e para mim não há assuntos com que não se deva brincar.

Mas não gosto do Rui Sinel de Cordes; acho que para fazer humor negro é preciso, antes de tudo, fazer humor.

O problema pode ter a ver com o ângulo mas tem sobretudo a ver com a preguiça e com alguma cobardia: o Rui Sinel de Cordes escolhe sempre o mesmo caminho fácil - atacar a parte mais fraca de uma história.

As piadas que lhe conheço são sempre fáceis e boçais, mas o pior é que isso também o torna previsível; é fácil estar perante um acontecimento grotesco e pensar:

O Rui Sinel de Cordes diria isto...

Ele é um tipo inteligente e sabe que terá o impacto que lhe quisermos dar; sabe que quanto mais polémica causar, mais visibilidade e espaço vai ter.

Já percebeu que lhe basta mandar umas bojardas para andar nas bocas do mundo, e se calhar é por isso que escolhe sempre aquele caminho fácil e de retorno garantido.

No fundo, se aqueles que o odeiam tanto falassem menos dele, muitas das piadas que ele criou e de que não gostei não teriam sido replicadas e não teriam sequer chegado ao meu conhecimento.

Por essa razão, eu que não gosto dele gosto ainda menos dos que o odeiam.

 

À parte destas considerações, já me cansam os movimentos de indignação contra pessoas que objectivamente não nos fizeram mal, mesmo se foram (muito) inconvenientes ou ofensivas.

Ontem queriam matar o José Cid, hoje querem trucidar o Rui Sinel de Cordes.

Ele tem razão quando diz no seu site:

"Em Portugal, um gajo que destrói a vida de centenas de famílias é o “dono disto tudo”. Um humorista que falhou uma piada ou tocou num tema que não gostamos é um filho da puta que devia morrer."

Já ia sendo tempo de sermos mais exigentes e de canalizarmos o nosso ódio colectivo contra aqueles que nos fazem objectivamente sofrer, em vez de querermos sempre crucificar o entertainer que não nos agrada ou nos causa repulsa.

 

Em condições normais o Rui Sinel de Cordes não merecia sequer ser debatido, quanto mais abatido...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:00


38 comentários

Imagem de perfil

De Maria das Palavras a 16.06.2016 às 10:15

Acho que é mesmo questão de gosto. Não acho que sejam abordagens fáceis ou pouco criativas, há outros humoristas desse nível de "negrura" que caem na provocação fácil e talvez por isso não encham as salas que ele enche.. Eu gosto de humor negro e gosto do Sinel de Cordes - o que não quer dizer que me ria das piadas todas dele.

A gestão disto é simples. É tão fácil como as pessoas saberem separar opiniões de humor e se não gostam deste tipo de humor distanciarem-se dele. Ponto.

Mas odiar faz parte da sociedade, antes fosse tudo em forma de humor. Piadas não aleijam. Mesmo as que nos tocam e falam das nossas fragiidades. O que aleija são os tiros disparados em Orlando ou as coisas de que falam nas ameaças de morte que lhe são dirigidas. Odiamos os gays, odiamos quem mata os gays, odiamos quem fala da situação. Onde é que pára?
E acho que ele, o RSC, disse tudo, absolutamente tudo o que havera para dizer no texto que publicou no seu blog acerca dos limites do humor e de como as pessoas lidam - ou não sabem lidar - com ele. E da hipocrisia que é este tipo de ódio.
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 16.06.2016 às 11:27

Subscrevo-te.
O princípio que devia reger isto é o do “é proibido proibir”.
Eu não gosto dele mas não quero viver num sítio onde ele é impedido de fazer o humor que faz ou ameaçado pelo facto de o fazer.
Acho que o único limite à liberdade de expressão seria quando se passasse da piada passiva para o apelo à ação.
Por outras palavras, fazer piadas a gozar com pretos ou homossexuais é liberdade de expressão (por muito que nos deixe nauseados); incitar ao ódio racista ou à homofobia não é liberdade de expressão – é crime.
O que me faz confusão é este culto do ódio que leva as pessoas a seguirem nas redes sociais gente de quem não gostam só para poderem destilar fel.
É tão fácil (e saudável) ignorar as coisas de que não gostamos...
Imagem de perfil

De Maria das Palavras a 16.06.2016 às 10:23

E a isto acrescento, um post aparentemente muito atual, porque já ninguém se lembra que defendeu o humor "racista" de Charlie Hebdo , nessa altura fomos todos Charlie: http://www.mariadaspalavras.com/charlie-hebdo-sinel-de-cordes-e-o-116394

(talvez o segredo seja explodir, se o RSC explodisse é que eramos todos Cordes)
Imagem de perfil

De Gaffe a 16.06.2016 às 10:30

Maria, minha boa amiga, concordo contigo, não posso deixar de concordar, mas não consigo deixar de acompanhar o pai das crianças. Mas a verdade é que também não fui grande Charlie.
Para fazer humor negro, como é dito, é necessário antes de tudo ter humor. Eu acrescento, inteligência.
Nunca considerei inteligente o "humor" do senhor de quem se fala.
Às vezes, há coisas que acabam - ou que deviam acabar - porque não prestam.
Imagem de perfil

De Maria das Palavras a 16.06.2016 às 10:44

Concordo contigo (e com o pai das crianças) mas continuo a achar que é uma questão de gosto. Não me tenho em má conta e sempre gostei do humor do RSC, ainda antes de ele ser falado nos media e ser envolvido nestas polémicas (pelo menos que eu spubesse). Eu sempre gostei, vocês nunca gostaram. Por isso eu tinha um like na página e já fui a espetáculos dele e vocês nunca foram, provavelmente.

Isto é daquelas coisas que não se discutem: também há quem use Crocs...
Imagem de perfil

De Gaffe a 17.06.2016 às 23:27

Usar crocs é ter sentido de humor
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 16.06.2016 às 11:41

Bom texto esse sobre o Charlie Hebdo (o teu e o dele).
Sem imagem de perfil

De Rui Boamorte a 16.06.2016 às 11:50

Não percebo porque é que você excluiu o meu comentário. Gostaria que me explicasse, seria bom, ou ao menos seria simpático da sua parte.
Cump.
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 16.06.2016 às 12:04

O blog é público mas é a minha casa.
Não me conheces de lado nenhum e desataste a chamar-me mesquinho, parolo e hipócrita.
Não te parece suficiente para eliminar o teu comentário?
Foi assim que te ensinaram a falar com pessoas com as quais discordas?
Eu escrevo um texto contra o ódio, tu partes para a ofensa gratuita e achas estranho que eu apague?
Não me apeteceu perder tempo contigo.
Faz-te o favor de não perder tempo comigo...
Sem imagem de perfil

De Maria a 16.06.2016 às 11:46

O artista italiano Piero Manzoni, fez uma obra de arte, a que chamou “Merda d'artista”.
Que consiste numa série de 90 latas contendo as fezes do próprio, vendia-as ao preço do peso do ouro.
Está inclusive no respeitável, Tate Museum de Londres.
Foi um ato subversivo?
Arte é discutível.
Com isto quero dizer, que humor e grotesco são completamente opostos.
E este Sinel de Cordes inclui-se no segundo.
É pequeno demais, para ter alguma importância.
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 16.06.2016 às 11:56

Toda a criação humana é discutível.
Mas é precisamente por não gostar do humor do Sinel de Cordes que fiz questão de escrever este texto a defender o seu direito a fazer coisas de que eu não gosto.
É assim que deve ser.
Da mesma forma que o Charlie Hebdo tem que ter o direito a publicar cartoons que me causam repulsa.
Mas em bom rigor te digo: um gajo como eu que tem 4 filhos e chegou a ter 3 cães ao mesmo tempo, já mudei tanta fralda e já apanhei tanta poia que desenvolvi uma razoável capacidade de resistência à merda :-)
Imagem de perfil

De ó menina a 16.06.2016 às 13:54

Será sempre, para mim, um mistério como não há quem ache piada a estes senhores mas, eles continuam a ganhar a vida a fazer 'humor'.
Acho que nem tudo é permitido sob o manto da liberdade de expressão, a ofensa não deve ser permitida apenas porque se lhe coloca o adjectivo de humor ou é dita por um pseudo humorista.
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 16.06.2016 às 15:08

Acho que estamos a falar de coisas diferentes porque objectivamente existem limites à liberdade de expressão e a ofensa (de que falas) não é permitida.
A lei já impõe limites à liberdade de expressão e até a Constituição da República refere o "direito ao bom nome e à reputação" como direitos de personalidade.
Se eu te ofender, tu processas-me e sujeitamo-nos ambos às regras do Estado de Direito.
Os tribunais estão cheios de processos por ofensas - isso é o Estado de Direito a funcionar.
Eu não quero "não-permitir" as coisas de que não gosto.
Nem no humor nem na música nem no cinema nem em nenhuma forma de arte.
Sob pena de alguém querer "não-permitir" as coisas de que gosto.
Imagem de perfil

De Kok a 16.06.2016 às 15:54

Sou um apreciador do humor e, consequentemente, de muitos humoristas.
Dos humoristas que aprecio gosto de quase todas as suas actuações.
Dos que não aprecio poucas serão as de que gosto.
As actuações daqueles vejo sempre que posso; das destes raramente me interessam.
Até pode acontecer que a mesma piada, dita por um daqueles eu lhes "ache piada" mas se for por um destes, nem por isso!
Porque cada um tem a sua sensibilidade e daí o "sentido humorístico", de cada pessoa é variável, felizmente.
Todavia não me passaria pela cabeça matar o humorista. (aliás, nem ninguém; digo-o para que conste). Há coisas com que não concordo mas isso não é somente relacionado com o humor e/ou humoristas.
Eles devem ser livres para o fazer e eu tenho que ser (e devo ser) livre para não gostar e/ou criticar.
1 abraço pah!
Sem imagem de perfil

De Francisco Rosário a 16.06.2016 às 19:32

Rui Sinel de Cordes é, de longe, um dos melhores humoristas que Portugal já viu. Dizer que ele manda "umas bojardas" fáceis para fazer rir qualquer um que aguente, é simplesmente ridiculo. Nunca ouvi um humorista ser tão verdadeiro no que diz. Tens de me dizer que humoristas mais agressivos é que gostas e segues. Se não apresentares uma resposta com nexo, simplesmente fica provado de que não percebes um centavo de humor.
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 17.06.2016 às 01:32

Como facilmente imaginarás, não estou especialmente preocupado com a opinião que tens sobre o que eu percebo ou não de humor.
Não vou ser avaliado por ti; por mim podes achar que tenho uma foto do Badaró pendurada no retrovisor - é-me completamente indiferente,
Mas agora fiquei com pena do RSC.
O tipo tem uma trabalheira desgraçada para escrever aquele texto a explicar que o humorista/RSC é uma espécie de personagem, que se mantém fiel a esse estilo, e que as suas piadas não representam de todo as suas opiniões pessoais.
E depois vens tu e escreves que nunca ouviste um humorista ser tão verdadeiro no que diz.
É azar, caramba.
Sem imagem de perfil

De Paulo a 16.06.2016 às 19:53

Nem sei quem é o RSC. Mas achei muita piada a ver que este post tem 22 (com o meu, se for 'postado', 23) comentários e os outros param prái no 6....
Sem imagem de perfil

De António R. a 16.06.2016 às 20:24

Aproveitando a ligação ao Charlie Hebbdo pergunto-me se não haverá um islamista radical dentro de cada um de nós, sempre disposto a decapitar quem ou o que nos desagrada. Até o anonimato com que os islamistas normalmente se apresentam é comparável com os perfis anonimos e cobardolas que despejaram ódio sobre o humorista no Facebook . Gosto do RSC não sendo no entanto um indefectível . Como aliás de quase tudo. Quando gosto vejo ao contrário desligo. Custa-me pois ver a crescente intolerância que mencionou . Pode-se dizer que as pessoas a coberto do anonimato da internet dão largas aos seus ódios mas creio que é mais do que isso e Orlando e até o assassinato da deputada britânica são bons exemplos de que a violência é para cada vez mais indivíduos uma forma de expressão legítima. O RSC não é e nunca será um humorista para as massas mas é-o para um nicho e como em todas as áreas da vida é essencial que exista nem que seja só para mudarmos de canal
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 17.06.2016 às 01:15

Eu esforço-me para que dentro de mim não exista nenhum radical islâmico, mesmo quando o primeiro instinto é afiar a faca.
Este post é aliás uma demonstração desse esforço.
Não gosto dele e acho que o seu trabalho enquanto humorista faz mais mal do que bem.
Mas não faz sentido ameaçar uma pessoa que faz piadas de que não gostamos, sobretudo num mundo onde há pessoas a fazerem coisas um nadinha mais graves do que dizer piadas de que não gostamos.
Subscrevo integralmente o que dizes; acho aliás que os nichos são fundamentais para a cultura e para a abertura da sociedade e das mentalidades.
Por acaso o nicho do RSC em concreto não, muito pelo contrário; mas os nichos em geral sim.
Sem biodiversidade isto era uma seca...
Sem imagem de perfil

De zezinho a 17.06.2016 às 00:29

RUI AO PODER; só invejosos
Imagem de perfil

De umacartaforadobaralho a 17.06.2016 às 01:32

Ele fez alguma publicação recentemente? Estive à procura, mas não consigo achar nada..
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 17.06.2016 às 11:03

A polémica mais recente tem a ver com um tweet a propósito do massacre de Orlando.
Depois disse que saía do Facebook e escreveu um (bom) texto no seu site.
É evidentemente a sua versão, mas diz muita coisa que faz sentido.
Por essa razão o citei e coloquei o link (na citação) para que se possa aceder facilmente ao texto integral.

Comentar post


Pág. 1/2



O LIVRO

Capa_OK


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D