Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


paredes-fullframe.jpeg

Agora que a época festivaleira acabou, apetece-me partilhar uma história que aconteceu comigo e que ilustra bem como os festivais não são todos iguais.

 

Momento 1:

Em Fevereiro fiz uns contactos para ver se conseguia arranjar dormida em Paredes de Coura durante o festival, o que não é fácil.

Num turismo rural que já conheço disseram-me que não tinham vagas nessas datas, mas a irmã talvez pudesse ajudar caso aceitasse ceder quartos na sua casa particular.

Para tentar vender o meu peixe e convencer a senhora a ceder um quarto em sua casa, expliquei que somos um casal na casa dos 40, que não somos nenhuns miúdos bebedolas e barulhentos, e que connosco ficava mais descansada.

E a senhora disse-me que lhe era indiferente e deu-me a resposta típica dos Courenses: “a malta do festival é toda espetacular”.

Aparentemente nunca ninguém teve problemas com os visitantes, tenham eles 20, 30 ou 40 anos.

 

Momento 2:

Em Junho andei à procura de um sítio para passar uma semana de Agosto com a família na costa alentejana, e contactei um turismo rural em Odeceixe.

Disse-me o senhor que me atendeu que nem pensasse nisso, que até tinham quartos disponíveis, mas que não nos aconselhava de todo a ir com as crianças para aquela zona na semana do Sudoeste porque com o festival e os festivaleiros aquilo é insuportável.

 

Se num sítio não me aconselham a levar a família porque está perto de um festival, no outro dizem-me que ao festival só vem gente "espetacular".

 

Cada um vai para onde lhe apetece, consoante o ambiente e a música que por lá passa, e ainda bem que há eventos para todos os gostos.

Mas eu vou ficando fã de Paredes de Coura.

vdfpdc2014-copyright-hugo-lima-309.jpg

Ao contrário do Primavera Sound no Porto onde o público anda mais na casa dos 30 aos 50, em Peredes de Coura são quase todos miúdos (vê-se pelas caras deles, pelas t-shirts dos cursos, das semanas académicas, etc.)

Mas em Coura os miúdos não andam feitos parvos a gravar bocados de concertos no telemóvel infernizando a vida de quem está atrás deles.

Em Coura os miúdos não estão nas primeiras filas à conversa como quem está num bar, enervando quem está ali ao lado a querer ouvir o concerto.

Em Coura os miúdos cantam e tocam nas margens do rio durante o dia, e ensinam técnicas e canções a desconhecidos que lhes vão perguntar como é que se faz aquele acorde.

Em Coura os miúdos leem durante o dia, falam sobre livros e emprestam os jornais diários uns aos outros.

Em Coura os miúdos gostam de assistir a sessões de poesia e reagem com entusiasmo.

Em Coura os miúdos respeitam as miúdas e não se atropelam nas filas por causa de uma imperial.

Em Coura os miúdos bebem litros de cerveja à noite, mas também comem quilos de fruta durante o dia.

Na vila de Paredes de Coura as ruas enchem-se de esplanadas provisórias para satisfazerem o brutal aumento da procura, mas não há pré-pagamento porque os miúdos não fogem sem pagar.

Em Coura os miúdos respeitam-se uns aos outros e respeitam os artistas e a música que se está a ouvir.

Em Coura vejo bandos de miúdos e de miúdas a divertirem-se à sua maneira, e às vezes fico a pensar que gostava que os meus filhos também crescessem assim: livres, felizes e educados.

Os Courenses adoram o seu festival e os seus festivaleiros.

E eu também.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:50


13 comentários

Sem imagem de perfil

De Makiavel a 09.09.2016 às 10:14

Nunca fui ao festival Paredes de Coura, embora alguns alinhamentos me tivessem feito vacilar. Mas a distância (ir de Lisboa e voltar), os valores envolvidos (a idade já não está para campismos, gasolinas, portagens) demoveram-me sempre.

O único festival a que costumo ir é ao NOS Primavera Sound no Porto mas já lá presenciei a situação descrita: pessoas a conversar como quem está num bar enquanto os artistas vão actuando. Aconteceu este ano com a PJ Harvey, noutro com Antony Hagerthy.

Tal como em Coachela (segundo relatos de quem lá foi), começa a aparecer o fenómeno dos utentes que vão aos festivais apenas para serem vistos lá.

Já sugeri um questionário prévio sobre os artistas e as suas carreiras para quem queira comprar bilhetes mas dizem que não é bom para o negócio.
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 09.09.2016 às 23:52

Eu vou ao Primavera Sound desde a 1ª edição e este ano fui a Coura pela 3ª vez.
No Primavera já se vê muita gente que vai para ser vista e muitos espanhóis que falam alto que se fartam.
Também sou de Lisboa e sim, sai caro que se farta.
Mas também é por ser de Lisboa que prefiro esses festivais.
Para quem tem (4) filhos, a sensação é completamente diferente.
Ir ao Alive, ver excelentes concertos, ir dormir tarde para casa e acordar no dia seguinte às 8 da manhã com os miúdos aos berros é completamente diferente de ir a Coura ou ao Porto e acordar descansado ao meio-dia.
Assumi que são as nossas férias sem miúdos...
(à parte disso, jamais perderia os LCD Soundsystem)
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 10.09.2016 às 00:35

Por acaso, sempre que ouço algo dos LCD Soundsystem ao vivo, fico desiludido.

Tive pena de não ver os Alabama Shakes há uns anos e os Arcade Fire há ainda mais anos.

O Primavera Sound fui a 3 edições. A deste ano encheu-me as medidas. O dia com Cass McCombs, Destroyer, PJ Harvey e Beach House foi excelente. Brigando Wilson, por ser irrepetível, também foi interessante.
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 10.09.2016 às 23:47

Este ano, para mim, era Savages e os outros todos.
Mas adorei ver o Brian Wilson e os Destroyer.
E vejo os Linda Martini sempre que posso
Sem imagem de perfil

De Daniel a 09.09.2016 às 11:55


Não é preciso ir a festivais para presenciar alguns destes fenómenos...

Em Agosto na festinha "daqui da terra", num concerto muito bom do Miguel Araújo, estava ao meu lado um grupo de 4 ou 5 adolescentes ( 16 a 18 anos) que não paravam de conversar (em voz bem alta) e de rir à gargalhada.
Pedi para respeitarem quem queria ouvir o concerto, passaram a conversar em tom um pouco mais baixo mas continuaram a rir e nem sequer olhavam para o palco...
Conclusão, tive de me desviar uns 10 metros deles para não me incomodar mais... Felizmente não estava muita gente e encontrei outro bom local onde pude apreciar convenientemente o concerto...
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 09.09.2016 às 23:56

Nos concertos à borla ainda é pior porque as pessoas vão passear, seja qual for o artista.
Até percebo que longe do palco as pessoas conversem; num festival com dezenas de artistas, há sempre gente que se identifica menos com um ou outro músico.
Mas a malta que vai para as filas da frente, onde deveriam estar os indefectíveis, e se põem à conversa e a filmar com as mãozinhas ao alto é que me tira do sério...
Sem imagem de perfil

De Isabel Tavares a 09.09.2016 às 16:45

Partilho em absoluto daquilo que es creveu sobre Paredes de Coura...é inacreditavel como é tao diferente, tao tranquilo...tao BOM!
Tem uma magia que mais nenhum tem e talvez seja isso que "inebria" quem la vai!!é absolutamente fantastico!tambem sou Fã!!
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 10.09.2016 às 00:05

E depois é tudo muito concentrado; passa-se tudo num raio de 2 km e isso ajuda a fazer aquele "concentrado" de felicidade.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.09.2016 às 17:41

Estive present em Paredes de Coura com o melhor - THE LAST INTERNATIONALE -
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 10.09.2016 às 23:49

E o início foi épico com os We Trust e a orquestra dos miúdos de Coura.
A cena dos miúdos emocionou-me...
Sem imagem de perfil

De musiquinhas a 11.10.2016 às 14:59

Acreditas que nunca fui a nenhum festival,embora seja viciada por música????????
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 11.10.2016 às 16:01

Eu tinha ido a um SBSR no Meco em 2010 e gostei da experiência.
Mas comecei a ir com regularidade quando apareceu o Primavera Sound no Porto (em 2012) e percebi que aquele é o "meu" formato.
É excelente para sair da rotina de casa... :-)
Sem imagem de perfil

De musiquinhas a 11.10.2016 às 16:53

Se tens festivais perto de ti,acho que fazes bem em ir e em te divertires!! Eu sou da beira baixa,aqui há muitas poucas festas,então na altura que estamos ultrapassando agora,é complicado!! No verão,ainda existem algumas mas pouca gente por aqui vai às festas!! Fica bem!!

Comentar post



O LIVRO

Capa_OK


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D