Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Uéb Sâmit

10.11.16

É evidente que nada me move contra o progresso e as novas tecnologias – era o que faltava.

Já não tenho é paciência para esta parolice lusa de venerar tudo o que vem de fora como se fosse o último grito da moda - aquela novidade que nos vai salvar.

Sim, andam por aí umas pessoas que estão a participar num grande evento, é verdade.

Mas se o evento nos entra pelas casas adentro não é só pela sua dimensão, relevância ou pelo que traz de novo à cidade – é pelo empolamento provinciano das notícias.

 

Ai, os hotéis estão cheios!

A sério?

Só quem nunca tentou marcar um hotel é que não sabe que é frequente ser difícil encontrar um quarto disponível na cidade.

Já me aconteceu várias vezes só conseguir um quarto (sim, um só quarto) à quinta ou sexta tentativa porque o Marriott estava cheio, o Corinthia estava cheio, e nos hotéis de 4/5 estrelas perto do eixo Aeroporto/Expo não havia um único quarto disponível.

Lisboa recebe diariamente milhares de turistas e dezenas de eventos e congressos que tornaram a oferta hoteleira insuficiente há muito tempo. Qualquer passeio por Lisboa revela uma quantidade de novos hotéis (para além do fenómeno dos alojamentos locais) que nascem como cogumelos.

É preciso ter passado os últimos 5 anos a dormir para não perceber isso.

 

Ai os transportes estavam cheios.

A sério?

É que nem me vou dar ao trabalho de comentar...

 

Ai, o Bairro Alto e o Cais do Sodré foram invadidos à noite!

A sério?

Agora a sério... A SÉRIO?

Mas há alguém neste quintal à beira mar plantado que não saiba que o Bairro Alto e o Cais do Sodré estão SEMPRE cheios de gente durante os 52 fins-de-semana do ano?

 

Qual é a próxima extraordinária novidade que estes media trendy nos vão dar?

Que por causa da Web Summit este ano até houve verão de São Martinho?

Que durante a Web Summit a semana começou a uma segunda?

Vocês desculpem a minha aparente falta de entusiasmo mas não sei se o meu coração aguenta tanta inovação.

 

Gente fina é outra coisa

 

Fico feliz pelo facto de a organização ter escolhido a minha amada cidade.

Espero que os participantes tenham gostado de cá estar e que tenham ficado com vontade de cá investir e de cá voltar.

 

Mas nós estamos em 2016 – enquanto comunidade já tínhamos a obrigação de receber as pessoas e os eventos com normalidade e não como uns pacóvios fascinados porque vêm aí umas coisas lá de fora.

Já não há “lá fora”, pá.

Agora passa-se tudo cá dentro.

Parecendo que não, o termo “aldeia global” foi criado há meio século...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:30


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Té GLP a 11.11.2016 às 15:11

Ahahahaha, o máximo... mas sim... ainda é verdade que o povinho diz que lá fora équé, e que ui, finalmente temos Lisboa no mapa...EY PESSOAL, LISBOA ESTAVA NO MAPA HÁ MAIS TEMPO DO QUE EXISTIAM OS EUA... por isso piem baixinho!!!
Mas ouvi-los ah e tal Lisboa é o máximo e o catano, e eu, que nem gosto muito (sou mais daqui d'acima do Mondego) como dizia.. até me arrepiei... gosto que falem bem do meu país... os outros... porque os nossos só falam mal
Imagem de perfil

De Fernando Caeiro a 12.11.2016 às 00:04

Sim, sabe bem ouvir o entusiasmo dos estrangeiros, mesmo que seja por causa de um pastel de nata de uma pastelaria que sabemos ser manhosa
Imagem de perfil

De Papagaio Giló a 12.11.2016 às 14:23

Vá pra fora cá dentro... há quantos anos?
Papagaio
Imagem de perfil

De O Gajo das Riscas a 12.11.2016 às 16:57

Inteiramente de acordo. Já tive, aliás, oportunidade de me debruçar sobre o tema... em dose dupla.
É sempre bom saber que não sou o único «louco» com esta questão.
Imagem de perfil

De mami a 12.11.2016 às 17:07

sim, não e mais ou menos.
sim o evento poderá ser uma mais valia para a cidade e o país pela dinamização do consumo interno; não, não temos de ficar parados a olhar para o magnífico evento...mas talvez para nós ainda é uma honra fazer parte desta aldeia global (só e apenas porque nos sentimos o irmão mais pobre que quer ser reconhecido pelos outros)
Sem imagem de perfil

De Joao a 14.11.2016 às 14:41

Parabéns pela honestidade e frontalidade com que abordada o tema. O problema português e do mundo é o espirito de carneiro que tolhe o mais elementar e básico dos raciocínios. Gosta-se porque todos gostam, aplaude-se porque todos aplaudam, defende-se esta causa porque esta na moda ou é "viral", deita-se abaixo este ou aquele porque o espirito da massa assim o "manda".
Sem imagem de perfil

De carlos vieira a 14.11.2016 às 15:07

Tem toda a razão no que diz respeito aos pacóvios.
Em Portugal basta alguém tentar fazer algo inovador que não é compreendido por parte da população, para os pacóvios se insurgirem a deitar a baixo.
Não é recente, está nos genes do Portuga e foi identificado há muitos anos pelo grande Camões...chamam-lhes os velhos do Restelo
Sem imagem de perfil

De alex a 14.11.2016 às 15:14

Se a semana começou à segunda é novidade, normalmente começa domingo...
De resto concordo completamente! :)
Sem imagem de perfil

De antonio a 14.11.2016 às 17:26

Verdadeira parolice empolada pela CML. Com o transito no caos, os transportes publicos , cartazes da cml a falar em brigdes por causa da eleiçao do Trump- nem sabem escrever em ingles.....parolos...só tiros nos pés...

Comentar post



O LIVRO

Capa_OK


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D