Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


IVA-electricidade (1).png

Não sei se haverá mais alguém que, como eu, se esteja nas tintas para a redução da taxa do IVA na eletricidade.

Nota prévia: nós somos uma família remediada onde qualquer poupança é sentida e significativa, e por essa razão uma descida dos custos com a eletricidade seria MUITO bem-vinda; ainda por cima somos uma família numerosa que naturalmente gasta mais energia do que uma família com 1 ou 2 filhos.

Mas a verdade é que esta discussão sobre uma eventual descida do IVA da eletricidade me era indiferente por uma razão muito simples: já cá vivo há tempo suficiente para saber como as coisas funcionam neste País.

Se o IVA tivesse descido para 6% as famílias iriam sentir uma redução na sua fatura energética mas apenas durante uns meses. Depois disso as empresas fornecedoras iriam perceber que tinham margem para acomodar uma subida de preços e encarregar-se-iam de rever em alta os seus serviços; desta forma a redução do preço a pagar pelo consumidor provocada pela baixa do IVA seria depois “compensada”  pelo aumento das tarifas base.

Resumindo, dentro de alguns meses os consumidores estariam a pagar o mesmo e as empresas do sector energético estariam a lucrar muito mais.

Pior... com uma descida do IVA iríamos provavelmente assistir a um aumento de outros impostos para compensar a redução da receita, e dentro de pouco tempo estaríamos a pagar o mesmo pela eletricidade e a pagar (ainda) mais impostos.

Como tantas vezes tem acontecido, os sacrifícios dos contribuintes são absorvidos pela ganância de algumas grandes empresas mais ou menos monopolistas.

Por viver cá há uns anos, não me incomoda nada a não-descida do IVA na eletricidade; sei bem que a eventual descida seria apenas temporária e que no fim o verdadeiro beneficiário não seria o consumidor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:06


1 comentário

Imagem de perfil

Vagueando a 06.02.2020

O preço da energia eléctrica em Portgual é das coisas mais mal explicadas, como foi a transição para o mercado livre.
Parece-me que o mais importante a discutir é porque a larga maioria das pessoas não podem aquecer as suas casas no inverno e em segurança, porque não suporta o peso do custo da electricidade.
Portanto discutir o imposto a aplicar é apenas uma das muitíssimas componentes que encarecem este bem essencial e ainda não chegaram em força os carros eléctricos.

Comentar post



O LIVRO

Capa_OK

Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D